Nova Era do Conteúdo

By 17 de julho de 2018 outubro 14th, 2019 Radar

TEMPO DE LEITURA: 2 MINUTOS

Cada vez mais percebemos que os conteúdos estão indo muito além dos canais convencionais. Uma série de novas plataformas de streaming andam remodelando e dando contornos a NOVA ERA DO CONTEÚDO. Instagram, Spotify, Apple Music e YouTube estão investindo em experiências  que combinam podcasts originais, curadoria de playlists, audioplays e audiolivros, além de conteúdo de vídeo ao vivo. Isto representa uma mudança para o entretenimento cada vez mais móvel, principalmente entre os jovens usuários de smartphones.

No “Instavida”, um bilhão de usuários ativos mensais são levados a compartilhar trechos visuais de sua rotina diária. No recém lançado IGTV, eles agora podem compartilhar conteúdo de vídeo de longa duração, que segue a tendência mobile e afasta os telespectadores da televisão tradicional em favor do conteúdo digital. Em sintonia com o YouTube, a IGTV permite que os usuários façam upload de conteúdo com no máximo uma hora.

Imagem: Adweek

Com um novo formato que mescla narrativa, notícias, informações e opiniões com elementos visuais, o Spotify começou a ir além da música, introduzindo conteúdo de vídeo e podcasts originais. No início deste ano, a empresa anunciou Spotify Spotlight, que integra conteúdo de vídeo em podcasts. Está ocorrendo uma evolução da música para áudio não musical, além da ideia de criar conteúdo que possa ser visto e ouvido.

Imagem: What Hi-Fi

Quando se fala em moda e entretenimento o que ocorre é uma união com os provedores de streaming. A Apple Music estreou em junho o show do designer Virgil Abloh, uma espécie de “áudio mood board”, com novas músicas tocadas ao lado de hits e convidados que discutem arte, design, moda e música. Para emplacar junto aos anunciantes do Instagram, o YouTube acaba de anunciar a criação de uma divisão dedicada a parcerias de moda e beleza, para cultivar relacionamentos com marcas do segmento e influenciadores, e enriquecer ainda mais a plataforma. (Fonte: Vogue, 2018)

Cada vez mais abre um leque de canais para se trabalhar editorias, branding, entretenimento original e conteúdo. Já imaginou como sua empresa pode se inserir ou tirar proveito dessa tendência?