A mudança no Varejo Digital

By 10 de julho de 2018 outubro 14th, 2019 Blog
TEMPO DE LEITURA: 2 MINUTOS

 

O uso do mobile é tendência irreversível no consumo. Cada vez mais as pessoas estão esperando experiências cativantes que facilitem o engajamento, integradas ao uso das redes sociais. Assim, a indústria de varejo digital está sendo moldada para que as compras on-line sejam ainda mais fáceis e intuitivas. O que reforça a consolidação dos dispositivos móveis como caminho a seguir no comércio eletrônico nos próximos anos.

Com mais de 1 bilhão de usuários, o Wechat, desenvolvido pela Tencent, é um fenômeno na China, onde um terço de seus consumidores utilizam o app por mais de quatro horas/dia para absolutamente TUDO, desde pagar suas contas até enviar mensagens para amigos.  No início de 2017, lançou o Programa Mini onde mais de um terço dos usuários gastam entre US$ 80 e US $150 mensais, realizando transações pelo sistema de pagamento móvel da própria Tencent WeChat Pay. (Fonte: World Economic Forum e Bloomberg Businessweek, 2017;  Jisu App, 2017)

Várias empresas como @feelunique@gucci, @louisvuitton e @givenchyofficial lançaram suas lojas virtuais dentro do aplicativo por meio do Programa WeChat Mini. A estratégia é dirigida especialmente para líderes de opinião ou influenciadores, pois aumentam os índices de venda. Além disso, a Tencent tem investido mais de US $ 1 bilhão em plataforma de livestreaming. A @lorealhair aproveitou o programa WeChat Mini para criar um evento de compras ao vivo no Festival de Cannes.

O varejo digital não é exclusivo da China e vem se inserindo nas redes mais utilizadas aqui no ocidente.  O Instagram está desenvolvendo um conceito similar com publicações de compra em apenas um clique. Porém, apenas cinco produtos podem ser listados de uma só vez. O Facebook também tem se aventurado apesar de seu perfil ter mais a ver com direcionar usuários a varejistas do que em se tornar um varejista em si.

O fato é que os consumidores são impulsionadas por conexões sociais, impulsos e entusiasmo e querem ser envolvidos por histórias e interações com marcas. E sua empresa? Está preparada para esse novo varejo digital?