Saúde Metabólicas: as inovações na busca por melhoria contínua

By 17 de novembro de 2021 Blog, Tendência

A saúde metabólica está relacionada com os níveis ideais de açúcar no sangue, triglicerídeos, o colesterol HDL , pressão arterial e circunferência da cintura, sem o uso de medicamentos. Quando há algum desequilíbrio nesses fatores, aumentam as chances de um indivíduo desenvolver doenças cardíacas, derrames e diabetes. Foi durante a pandemia que mais gente passou a se preocupar em acompanhar de perto essas taxas, já que elas estão associadas à gravidade da COVID-19. E esse comportamento impulsionou algumas inovações relacionadas à saúde metabólica.

Veja Também: As inovações na busca por saúde mental

Tracker de saúde metabólica

O primeiro exemplo é o Lumen, dispositivo portátil utilizado para “hackear” o metabolismo. Ele funciona como uma espécie de bafômetro que você assopra o aparelho e ele faz a leitura em tempo real dos níveis de CO2 na respiração para interpretar se o corpo está usando carboidratos ou gorduras como combustível. Com esses dados é possível fazer comparativos e sugerir mudanças na alimentação, atividade física, planos de sono e acompanhamento médico. O Lumen foi lançado em maio do ano passado e já levantou mais de $17 milhões de dólares em financiamento

Imagem: Instagram Levels

Outro tracker de saúde metabólica é o Levels,  com empresa sediada em Nova York o dispositivo funciona através de um monitor contínuo de glicose e um aplicativo de monitoramento, que rastreia as taxas sanguíneas em tempo real  para maximizar a dieta e atividades físicas. Ou seja, ele mostra como o metabolismo do corpo reage aos alimentos e exercícios e indica melhorias. O modelo de negócios do Levels também envolve médicos e farmácias credenciadas, que oferecem suporte aos clientes no início da adesão ao serviço.

A empresa finlandesa Veri é outra que também mede a glicose para acompanhar o metabolismo. O rastreamento é feito através de um dispositivo vestível, parecido com o Levels, que oferece feedbacks instantâneos em um aplicativo de celular. Ele mostra como os alimentos ingeridos, a atividade física e sono estão afetando o metabolismo e dando dicas de como ter uma rotina mais saudável.

Veja Também: Inovação: dispositivos wearebles investem em rastreamento de humor

Desenvolvida pela Fibit, empresa americana de eletrônicos de consumo e fitness, a balança Aria Air é inteligente e fácil de usar, ela exibe seu peso e sincroniza com o aplicativo, onde você pode visualizar o seu IMC e acompanhar as tendências das taxas ao longo do tempo. Outra balança com a mesma proposta é a Index S2 da empresa Garmin. Além do peso, é possível acompanhar a percentagem de gordura corporal, a quantidade de massa muscular e óssea e o seu nível de hidratação. Além de disponibilizar uma programação para até 16 perfis de usuários. Ou seja, a família toda pode fazer o acompanhamento.

 

Dispositivo Breezing Pro

Já o  Breezing Pro é um dispositivo desenvolvido para os profissionais de saúde. Ele é uma espécie de uma máscara bem tecnológica que se conecta com um aplicativo de celular e em 10 minutos faz uma análise completa e precisa do metabolismo do paciente através da respiração. O Breezing Pro é focado em analisar a gordura abdominal para indicar alimentos e exercícios que vão ajudar na perda de peso.

Bebidas com propósito

Sabia que existem bebidas que propõem o controle da saúde metabólica também? Os refrigerantes da Mayawell têm sabores como framboesa; pepino com groselha preta; gengibre com morango e hibiscus; e abacaxi e manga com açafrão. Em cada lata tem menos de quatro gramas de açúcar e 40 calorias, e tem a promessa de melhorar a digestão enquanto fortalece o sistema imunológico e o metabolismo. A previsão é ser cada vez mais comum encontrarmos produtos assim.

Refrigerante Mayawell

Inclusive, esse ano aconteceu uma conferência sobre Inteligência Artificial no Metabolismo, trazendo novas descobertas significativas em pesquisa metabólica. Além disso, um novo estudo publicado em agosto deste ano pela revista Science, revelou que a taxa de metabolismo permanece estável entre as idades de 20 a 60 anos, ou seja, de acordo com o estudo, a idade não seria responsável pela baixa do metabolismo e consequentemente por algumas consequências atribuídas a isso, por exemplo, o aumento de peso.