Mercado PET: as inovações de um segmento bilionário

By 4 de agosto de 2021 Blog, Radar, Tendência

O Brasil tem o terceiro maior mercado pet do mundo, ficando atrás apenas da China e dos EUA, faturando mais de R$40 bilhões em 2020. E esse número se tornou ainda maior durante a pandemia, já que o setor foi considerado serviço essencial e não fechou. O número de adoções também cresceu no último ano. Além disso, somos o terceiro lugar do mundo quando falamos em população total de animais de estimação, são mais de 139 milhões de pets só no Brasil.

Veja Também: O impacto da pandemia coronavírus nas inovações

Mercado PET para a rotina

Para atender as necessidades dos bichinhos e dos seus tutores, o mercado está proporcionando inovações. O primeiro exemplo é o “ProBowl”, um comedouro com uma base inteligente que se conecta ao smartphone por meio de um aplicativo e registra a quantidade de comida e água que o animal consome, além de emitir alertas sobre mudanças incomuns, relatórios sobre os hábitos alimentares do pet e a possibilidade de sincronizar o app com a Amazon, facilitando assim o pedido de reposição da ração quando acabar. 

E já ouviu falar sobre o “Waze” para cachorros? O app Paway ajuda os tutores na hora de escolher uma rota para os passeios. Nele é possível registrar e ver os registros dos outros animais, onde consta observações como cães hostis, perigos, metas de exercício, servindo também para conectar os tutores entre si. Outra inovação tecnológica é o wearable FitBark. Esse dispositivo vestível é um rastreador GPS para pets que monitora a atividade e o sono do bichinho, detecta mudanças de mobilidade e dor, estresse e ansiedade, e coceiras e doenças de pele. Ele também permite que o tutor vincule o dispositivo com o Apple Watch, HealthKit ou Google Fit, com a proposta de manter-se saudável ​​juntos.

Paway – app de rotas para passeios

A próxima inovação foi criada pensando nos donos de gatos. A Petree é uma cabine de areia autolimpante que coleta os resíduos dos animais em 30 segundos e os coloca em compartimento separado, que já tem um saquinho de lixo próprio para isso. No final do dia, basta retirá-lo e colocar um novo para a próxima rodada. 

Inovações na alimentação 

O primeiro exemplo no segmento é a ração com regulação de temperatura. Chamada Premium Performance Sport, o alimento tem o objetivo de reduzir a temperatura do animal durante atividades intensas.  Já a Just Right Pet Food aposta na personalização da ração do pet fornecida através de um serviço de assinatura. Para aderir ao plano, o tutor responde um questionário on-line e a marca chega à uma mistura perfeita de nutrientes, ingredientes que auxiliam na saúde e na felicidade do pet. Ainda na linha das rações, há também inovações que priorizam a alimentação baseada em plantas, é o caso da Karma Pet Foods, que oferece uma ração 60% à base de vegetais. 

Veja Também: Newtrition*: O crescimento do consumo de alimentos sustentáveis e éticos

Happy Hour com eles também

Gato e seu vinho pet

Vinho para gatos da Apollo Peak

As bebidas para pets também estão em alta. A cervejaria brasileira Colorado, criou uma bebida sem álcool chamada “Cãolorado”. Já a marca americana Apollo Peak desenvolveu uma seleção de “vinhos” para cães e gatos. Com nomes que brincam com uvas famosas como Pinot Miow e Chardognay, as bebidas são próprias para o consumo dos pets e tem como proposta que os bichinhos possam participar do happy hour de seus donos. 

Inovações no PET brasileiro

Atenção também para a inovação brasileira desenvolvida pensando nos donos de gatos que moram em casas. O RollerCat anti-escape foi criado por um casal que estava cansado de ver seus gatos pulando o muro e fugindo, então eles desenvolveram uma estrutura de alumínio que é instalada em cima do muro e toda vez que o gatinho tenta subir a estrutura gira, não deixando ele passar para o outro lado.  A invenção deu tão certo que hoje eles comercializam o produto para todo Brasil e ainda disponibilizam vídeos tutoriais ensinando como instalar o mecanismo. 

Rollertcat – dispositivo anti-escape

Então, fica a reflexão: como o seu negócio pode atender as necessidades dos tutores de Pet?