Newtrition*: O crescimento do consumo de alimentos sustentáveis e éticos

By 27 de outubro de 2020 Blog, Tendência

Repensar a forma de lidar com a comida e buscar novos hábitos alimentares estão na pauta de muita gente há algum tempo, mas recentemente o tema ganhou uma maior profundidade e passou a entrar em um campo ainda mais amplo, que inclui estilo de vida e consciência ambiental. É neste contexto que o veganismo avança.

Para deixar bem claro, ser vegano é mais do que deixar de comer carne, é não consumir qualquer produto que tenha origem ou seja testado em animais, isso inclui roupas, cosméticos, calçados, comida, entre outros. O veganismo preza por um estilo de vida sustentável e ético. E é no contexto desta nova nutrição que as inovações estão surgindo em todo mundo. 

A primeira inovação é a food tech Just, empresa que produz um ovo feito de planta. Ela utiliza uma espécie de feijão (feijão mungo) que consegue alcançar o sabor do ovo mexido e consequentemente substituir a proteína animal por uma vegetal. A empresa está abrindo neste mês de outubro, em Xangai, um Future Food Studio, centro de inovação culinária totalmente baseado em vegetais, que além de aulas gratuitas, vai usar o principal aplicativo de mensagem privada da China, o WeChat, para que as pessoas possam se inscrever nos cursos.

Foto: VegNews

Já a rede de fast food KFC, também na China, está estreando frango frito à base de vegetais. O produto é feito com soja, trigo e ervilha, e depois de cozido, é adicionada a camada dourada crocante do KFC, aperfeiçoada para paladares chineses com uma pequena quantidade de castanha d’água de origem local. O sucesso foi tão grande que os cupons de pré-venda para o primeiro dia esgotaram em uma hora.

Uma outra rede mundialmente famosa também escolheu a China para começar sua investida no mercado vegano. A Starbucks fez parceria com Omnipork, Oatly and Beyond Beef – todas as empresas produtoras de laticínios veganos e alternativas de carne – para criar um menu plant-based. O menu está disponível em mais de 3.000 cafés do país.

Foto: Starbucks

Uma outra inovação também na área da alimentação vem de um restaurante britânico chamado Harwood Arms. Ele foi o primeiro restaurante do mundo premiado com estrela Michelin a colocar no cardápio uma carne vegetal. Um dos itens de um prato é o bacon feito a base de planta. Apesar do prato em questão não ser vegano porque tem outros itens de origem animal, o objetivo dele é quebrar o preconceito quanto a utilizar ingredientes a base de carne vegetal e ainda ter uma opção vegetariana no cardápio. 

Os sinais de mudança de comportamento do consumidor estão em todo lugar. Ao abrir um aplicativo de delivery hoje, é possível encontrar diversas opções de comida vegana. Coisa que há pelo menos dois anos era bem mais difícil de achar. Inclusive, atualmente, tem um grande número de restaurantes oferecem opções veganas no cardápio. 

Em 2018, uma pesquisa do Ibope Inteligência, mostrou que mais da metade dos entrevistados (55%) declarou que consumiria mais produtos veganos se estivessem melhor indicados na embalagem, ou se tivessem o mesmo preço que os produtos que estão acostumados a consumir (60%). Nas capitais, esta porcentagem sobe para 65%.

Diante disso, pode se notar que há um mercado crescendo rápido e os negócios precisam se adaptar. Fica a provocação: seu negócio está pronto para atender esta necessidade crescente do consumidor?

 

*Newtrition é uma das tendências em alimentação mapeada pela agência de pesquisa europeia Trendone