Inovação: dispositivos wearebles investem em rastreamento de humor

By 21 de outubro de 2020 Blog, Tendência

Saúde mental e autocuidado nunca foram tão faladas e almejadas. Especialmente em um ano como este. 2020 mais do que nunca está testando a resiliência de todos. 

A necessidade de se sentir bem pode ser constatada, inclusive, nos números de vendas de antidepressivos e estabilizadores de humor no Brasil. De acordo com um um levantamento feito a pedido do Conselho Federal de Farmácia, houve um crescimento de quase 14% nas vendas destes dois tipos de medicamentos, entre janeiro e julho deste anos, em comparação ao mesmo período do ano passado. Para se ter uma ideia, em números reais, as vendas de unidades de antidepressivos e estabilizadores de humor pularam de 56,3 milhões, em 2019, para 64,1 milhões, em 2020. É muita gente precisando de ajuda!

É focada nessa necessidade das pessoas que algumas inovações estão surgindo no mercado. Todas elas utilizam as tecnologias vestíveis para ajudar o usuário a desacelerar, controlar o estresse e o bem-estar emocional para uma abordagem mais holística da saúde.

 

A primeira inovação vem da Amazon, a Amazon Halo, que é uma pulseira com sensores que funciona conectada a um aplicativo de celular, consegue rastrear desde a parte física com o batimento cardíaco; monitorar o sono e escanear o corpo em 3D para estimar a porcentagem de gordura e avaliar se as atividades físicas estão surtindo efeito; e ainda faz análise emocional através de um sistema de reconhecimento de voz, ou seja, através da fala a tecnologia aponta se a pessoa está esperançoso, hesitante, entediado, feliz, preocupado, confuso, etc.

Uma outra inovação na mesma linha é o Fitbit Sense, um relógio que oferece um gerenciamento de estresse e humor. Para medir os níveis de estresse físico, ele analisa a frequência cardíaca e a temperatura da pele, já para o humor é adicionada a análise dos dados de sono. No aplicativo que funciona integrado ao relógio, o usuário pode observar como a aptidão física está se correlacionando com o humor ao longo do tempo.

Uma outra inovação nesta área é uma mistura de rastreador de humor com rede social. O Upmood Watch, usa tecnologia biométrica avançada para detectar onze estados emocionais, como ansioso, calmo, desafiado e animado, em seguida, identifica gatilhos emocionais para fornecer aos usuários percepções que impulsionam o humor. Este rastreamento é feito praticamente em tempo real e o relógio dá a possibilidade de se relacionar com amigos que também usam a tecnologia.

Todas estas inovações foram lançadas no mês de agosto deste ano. Isso é mais um sinal de que o mercado está apostando no autogerenciamento de saúde física e mental. 

Ainda sobre humor, uma pesquisa mostrou que nem a pandemia abateu o humor do brasileiro. De acordo com a Global Happiness 2020, 63% dos brasileiros se disseram felizes em 2020, o número oscilou positivamente em relação ao ano passado, onde 61% disseram estar felizes. Apesar do bom número, o pico, de acordo com a mesma pesquisa, foi em 2013, 81% dos brasileiros se diziam contentes. Mas, a diferença este ano é que as pessoas passaram a dar mais importância às relações interpessoais. Quando citaram os motivos da felicidade, as relações com parceiros e amigos, bem como doações aos necessitados ou o trabalho voluntário, ganharam notas mais altas do que critérios como situação financeira e econômica.