Tratar corações partidos vira oportunidade de negócio no Brasil e no mundo

By 14 de outubro de 2020 Blog

Uma nova modalidade de serviço, que pode ser classificado como “Suporte para Corações Partidos”, mostra que existe uma mudança cultural acontecendo no mundo: há mais pessoas encerrando relacionamentos ou simplesmente decidindo permanecer solteiras. Por isso, as empresas mais antenadas com o comportamento do consumidor estão mudando o foco. Ao invés de buscar um par ideal, estas empresas estão oferecendo serviços para facilitar o caminho daqueles que saem de relacionamentos, ajudando-os a aproveitar a transição para a vida de solteiro.

Alguns mercados já enxergaram esta oportunidade. Nunca se falou tanto em autocuidado e, consequentemente, alguns programas inteiramente voltados para quem está de coração partido foram lançados. Uma empresa chamada Mend, por exemplo, já atendeu pessoas de 195 países fazendo retiros de bem-estar físico e mental voltados para quem é recém-separado. Já em Hong Kong, foi lançado no final de 2019 o ‘Breakup Tours‘, que é um novo serviço de viagens voltado para aqueles que saem de relacionamentos. Este serviço personaliza os itinerários com base nas preferências individuais e oferece experiências de “cura do coração e limpeza da alma”. Promovem amizades entre os viajantes, além de oferecer “kits de primeiros socorros” personalizados contendo itens como como exercícios terapêuticos.

Outras empresas foram além, é o caso da Onward, que fica nos Estados Unidos e existe há um ano. A proposta dela é ser um serviço de concierge de separação, ajudando pessoas que saem de relacionamentos longos com a logística (mudança, busca de nova moradia, alterações de endereço e decoração do novo espaço) e desafios holísticos (saúde mental e física, orientações financeiras e jurídicas). Os interessados fazem uma assinatura e podem escolher os diferentes níveis de serviços.  

Em outra vertente, os fins de relacionamentos viraram pauta de museu.  Na Croácia, o Museum of Broken Relationships  é dedicado a objetos e presentes que tiveram um significado especial em relacionamentos que acabaram. Já no Japão, há um bar que só aceita a entrada de pessoas desacompanhadas. O Hitori não permite nem levar amigos ou conhecidos. só pode entrar se for sozinho.  Seria uma opção para afogar as mágoas sem ser incomodado?

Foto: Instagram Museum Of Broken Relationships

É possível perceber claramente que a pauta autocuidado e saúde mental está muito evidente. Falar sobre fins de relacionamentos e como lidar com decepções amorosas também estão muito mais presentes no cotidiano, é só lembrar do sucesso que as músicas classificadas como sofrência tiveram nos últimos dois, três anos. As formas de lidar com um fim de relacionamento estão se ampliando. Em São Paulo, por exemplo, existe o Grupo de Orientações para Descasados e já tem terapeutas pelo país que focam no trabalho com pessoas recém-separadas. Ou seja, um tema altamente sensível e estigmatizado está ganhando espaço. Fica então a reflexão: Que serviços e produtos podemos criar para atender estes consumidores?